PROVÉRBIOS

Omutu mahambualunga. O ser humano, não morre é morto, (sabedoria popular, povo dos Luandos). Moral do proverbio: Há sempre uma causa para a morte de um indivíduo, ou seja ninguém morre de velhice. (Serafim Quintino, 2010).

Ximba katuka imbukusu omandiga imbua; o gato bravo quando salta uma vala desaparecem-lhe as listras.

Tchijibha onzama o hé; o que mata o elefante é a determinaçao.

Okota okwenda xiutala onzamba; ser mais velho é andar nao é ver o elefante.

Usanzó tchubhita moxienama tchulunga ulambeka. O ramo do arbustro que te passa entre as pernas, ensina-te a vestir-se.

Responses

  1. Queiram, por favor, visitar a página http://www.canhanga.blogspot.com

    Há provérbios comuns e muitos…
    Aguardo opinião do vosso administrador de página e de visitantes do Kudisanza.

  2. é bem vindo o projecto de provervbios, deve-se procurar um professor de lingua kimbundu para as correcções. bem haja força cnal. lima-membro honorario do cnal.

    • Eduardo so hoje vi sua mensagem. Fiquei bem impressionado que mais um natural dos Luandos usa essa ferramenta (Internet) indispensavel do sec. XXI.

      Serafim Quintino

      • Eduardo nao verifiquei que afinal voce tambem so visitou o nosso blog hoje por volta das 4 horas da terde.
        Quanto a correcao do Kimbundo sabe que penso o contrario… As linguas nacionais de Angola foram estudadas sobretudo por filologos missionarios protestantes e Catolicos que escreveram gramaticas e dicionarios com palavras utilizadas por alguns povos das diferentes etnias (onde instalaram suas missoes), se bem que acredita-se que as areas em que se instalaraam eram as mais conservadoras da lingua. No caso dos Kimbundos, a regiao de Malange…. Creio que o kimbundo deveria incluir palavras faladas por todos os povos kimbundo (assumindo-as como sinonimos daquelas) enriquecendo assim a lingua e nao limita-la as palvras faladas pelas areas estudadas pelos missionarios. Mais importante do que corregir eh utilizar, e procurar uma grafia mais de acordo com a pronuncia do modo como se fala o Kimbundo nos Luandos.

        Serafim Quintino

  3. Sou estudante do curso de Linguística/Português – ISCED – UKB – Benguela. Estou a preparar o meu trabalho de fim do curso consubstanciado em ”Provérbios na Literatura Angolana”. Considero o vosso trabalho que têm colocado na net, muito valioso porque tem me ajudado bastante nas minhas pesquisas. Espero que prossigam com essa imensa tarefa de trazer ao público sedento do saber. A nossa cultura possui uma filosofia bastante rica. É imperioso que este conhecimento ágrafo passe para a escrita por forma a transmitir às novas gerações o que até aqui lhes foi ocultado.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: