Publicado por: cnal | outubro 14, 2013

Conhaça os Luandos

Foi elaborado um mapa dos luandos, com a finalidade de melhor ilustrar os limites geográfico dos Luandos e dos sobados que compõe a região.
Para a sua elaboração, contou com um conjunto de técnicas como o recurso ao GPS, as caminhadas longitudinais e transversais e contribuições de sobas e outras individualidades da região.
No referido mapa é possível ver, os principais rios intermitentes e o único permanente (o Longa), que atravessam os Luandos e ainda as montanhas, localidades onde residem actualmente as populações e as antigas. Também pode se ver a estrada Nacional que liga as comunas do Mumbondo a do Kixinje e as zonas histórico-culturais.
Dizer aos nossos leitores que este mapa não é oficial, mas apenas um documento que ajudara a quem se deslocar aos Luandos para servir de guia orientador, para que o visitante não fica perdido no tempo e no espaçogeográfico da região.MAPA DOS LUANDOS

Por Anacleto Quintino

Publicado por: cnal | setembro 20, 2013

Múcua substitui petroleo, diamantes e outros recursos

Para aqueles que pensam que recursos naturais é só diamante, ouro, petróleo, ferro, cobre por ai fora, estão muito enganados, nas comunas de Kixinge e Mumbondo no município da Kissama, a múcua é que esta a dar, ou seja, substituiu todos estes recursos.

No Kixinge, há já terrenos delimitados, se fores apanhado a explorar ou recolher  o recurso múcua, neste espaço arrisca-te a parar no tribunal tradicional local, por isso antes de o fazer pergunte.

Segundo nossa fonte, há pessoas que estão a pagar o credito automóvel com ajuda da múcua outros estão a construir casas e comprar motas. No Kixinge graças a venda da múcua há um projecto para a compra de um gerador com capacidade para fornecer energia a sede da comuna.

É caso para dizer, que quem não tem cão, caça com gato

Publicado por: cnal | setembro 20, 2013

Turistas Sul-africanos no Ganga Lodge/Luandos

Por altura das festas populares dos Luandos, que teve lugar entre sexta-feira 13 e domingo 15 de Setembro de 2013, não foram só os angolanos naturais e amigos, que se deslocaram para os Luandos. O pessoal expatriado não queria ficar de fora, quatro turistas, dois Sul-africanos e um casal francês, viveram de perto as festas e o casamento que deixou-os de total satisfação, dizendo mesmo perdeu quem não estava nos Luandos por aquela altura, foi um evento único.DSC_4388
Os turistas, não só assistiram as festas populares e o casamento colectivo, como também desfrutaram do ar puro, das belezas naturais (fauna e flora) e da típica comida e bebida que a região foi agraciada pela mãe natureza.
Os nossos vizinhos da região austral, preferiram acomodarem-se numa das três tenda quarto, enquanto que o casal francês preferiu a suite que o Ganga Lodge dispõe e prometeram trazer seus familiares e amigos nas próximas visitas.

Por Anacleto Quintino

Publicado por: cnal | setembro 20, 2013

Festas dos Luandos marcado por acidente de viação

Adicione suas ideias aqui… (opcional)

Kudisanza

DSCF0197

O acidente de viação, que envolveu a viatura de marca toyota hilux, pertencente à Eduardo Correia, ocorreu no Morro do Mbiri por volta das 15 horas de sexta-feira 13, quando seguia aos Luandos. Segundo o motorista da viatura o acidente teve como causa a falha dos travões no momento em que descia.

A viatura ficou danificada, deixando os seus ocupantes com ferimentos ligeiros, que foram prontamente levados por outra viatura para o Dondo, onde receberam os primeiros socorros no hospital daquela cidade e posteriormente evacuados para Luanda.

Segundo, Dionísio Teixeira, irmão das duas vitimas, Merciana Teixeira e Domingo Júlio, disse que os médicos garantiram que não há nada de grave, mas aconselharam a fazer raio x, para ver possíveis lesões internas.

O kudizansa deseja as vitimas do acidente rápidas melhorias.

Anacleto Quintino  

 

Ver o post original

Publicado por: cnal | setembro 20, 2013

Festas dos Luandos marcado por acidente de viação

DSCF0197

O acidente de viação, que envolveu a viatura de marca toyota hilux, pertencente à Eduardo Correia, ocorreu no Morro do Mbiri por volta das 15 horas de sexta-feira 13, quando seguia aos Luandos. Segundo o motorista da viatura o acidente teve como causa a falha dos travões no momento em que descia.

A viatura ficou danificada, deixando os seus ocupantes com ferimentos ligeiros, que foram prontamente levados por outra viatura para o Dondo, onde receberam os primeiros socorros no hospital daquela cidade e posteriormente evacuados para Luanda.

Segundo, Dionísio Teixeira, irmão das duas vitimas, Merciana Teixeira e Domingo Júlio, disse que os médicos garantiram que não há nada de grave, mas aconselharam a fazer raio x, para ver possíveis lesões internas.

O kudizansa deseja as vitimas do acidente rápidas melhorias.

Anacleto Quintino  

 

Publicado por: cnal | setembro 20, 2013

Luandos ao Rubro na 9ª edição das festas populares

ImagemMais de 1500 pessoas deslocaram-se aos Luandos, para fazer parte das festas populares. A festa que ocorre nos fins de semana, em que calha o dia 13 de Setembro de cada ano, teve inicio  à sexta-feira 13, culminando  domingo 15.

Como toda festa, a par de comes e bebes, a festa foi brindada com teatro e musica de Kaiza, grupo Kambaza, kudurista Papoite Esqueleto e o filho da terra Ezequiel, conhecido por Lari P, levando ao delírio o publico presente.

Desporto uniu o útil ao agradável, depois da equipa da Muxima ter derrotado o Cakumba, defrontou na final  os Luandos que venceu o Cabo Ledo por falta de comparência. Na final os Luandos venceu pela primeira vez ao cabo 4 jogos, em edições anteriores, á  Muxima, por expressivos 5-2 ficando com o troféu pela terceira vez.

 Foi bom ver filhos da terra que a mais de 15, 20 anos não pisavam a terra, bem haja CNAL e os Luandos.

Publicado por: cnal | fevereiro 22, 2013

ELABORADO PLANO URBANISTICO DOS LUANDOS

Plano urbano dos Luandos

Plano urbano dos Luandos

Um plano urbanístico foi elaborado pela empresa CADIT, no âmbito de um projecto de construção de casas de adobe de terra comprimida vulgo BTC, financiado pela Sonangol.
O referido plano contem zonas residenciais, administrativa, comercial, de lazer e zonas verdes para protecção do ambiente, sem esquecer os cemitérios. Plano este que servira de um documento orientador para a urbanização do povoado por forma evitar anarquia na construção.

Publicado por: cnal | dezembro 18, 2012

Conheça Quissama

Sempre que se fala de Kissama vem a mente das pessoas de outras partes de Angola e do Mundo, o Parque Nacional de Kisama e da Igreja da Nossa Senhora da Conceição, conhecida por igreja da Mama Muxima. Não se fala de outras coisas nem de outras localidades da Kissama.
Hoje quero trazer-vos algumas imagens diferente das que estamos habituados, resultado da visita efectuada com espatriados americanos a comuna de Kixinge e povoção de Kindongo.
Doze individuos, entre eles o Adimistrador de Kixinge, Olimpio Candua, Presidente do, GBCA Serafim Quintino, quatro estudantes universitarios angolanos e seis estudantes universitarios americanos da Igreja Baptistas, deslocaram-se as localidades acima sitado com proposito de fazer uma pesquisa sobre o impacto do cristianismo em Angola.
a viagem teve inicio em Luanda por volta das 6 hora, devido a variars paragens chegando a kixinge as 17 hora do mesmo dia, , no local, depois de bem acomodados tivemos um breve contacto com as pesoas da comunidade e lhes dizer os motivos de tãosupreendente visitas.
Apos o jantar, houve dialgo com os membros da comunidade, finalizando com testemunhos da vida crista por parte dos visitantes.
As 9hors do dia seguinte deixamos o Kixinge para Kingongo, onde a comitiva participou de um culto na igreja Metodista Unida deste povoado, como no Kixinje houve um pequeno brifig entre a direcção da igreja e os visitantes.
Já por volta da 13 horas deixamos Kindongo em direção à Luanda.
Durante a nossa estadia nessas paragens não faltou aos nossos olhos lugares bonitos que estamos mais habituados a ver só na televião e nas fotos vindas de outros quadrantes do planeta terra.Paisagens exuberantes com o verde da naturza, oazul escuro e fusco das mntanhas no horizonte, quedas de águas e a calma que é caracteristico das localidades rurais, que é quebrado pelos dos motores dos veiculos de visitas como esta.
Há quem disse que gostaria de construir a sua casa bem no topo da montanha mais alta, para contemplar de longe os varios cenários que a natureza nos oferece sem custos.

Por Anacleto Quintino

Publicado por: cnal | dezembro 12, 2012

ELOGIO FUNEBRE

Nito NunesInácio Carlos Nunes, mais conhecido por Nito Nunes, é filho de Carlos Nunes e de Cecília Cassule, ambos naturais dos Luandos, povoação da comuna/distrito de Mumbondo, município de Kissama. Nito Nunes nasceu nos Luandos no dia 7 de Abril de 1941. Portanto viveu 71 anos.
Aos 14 anos de idade, Nito Nunes deixa a sua povoação em busca de um destino diferente daqueles que permanecia na sua sanzala. Tendo trabalhado como criado no Mumbondo, Muxima e Catete respectivamente.
Apesar dos seus 71 anos de vida, Nito permaneceu um enigma, enfim um caso de estudo, para família, mesmo a família nuclear, se é que se pode falar de família nuclear de Nito Nunes, pois, ele teve muitos amores que deram muitos rebentos.
As únicas facetas visíveis desse iceberg que se chama Nito Nunes são as de cantor e funcionário da TAAG.
Frequentemente esteve associado a manifestações de rebelião contra as autoridades coloniais portuguesas, primeiro em Catete, em 1957, o que lhe custou a fuga a Malanje, onde permaneceu até 1961 e fundou um agrupamento musical que se denominou «Turma na Canambua».
Tendo recebido a notícia do falecimento do seu pai, volta à Luanda no ano de 1961. Todavia não foi aos Luandos. Aliás Nito nunca mais regressou aos Luandos.
Em 1962 emprega-se na Direcção de Transportes Aéreos (DTA). E 2 anos depois ingressa nas forças armadas coloniais, é destacado em Cabinda. Algum tempo depois tenta uma fuga para o Congo para juntar-se a luta de libertação de Angola. Porém o grupo de 35 indivíduos é descoberto e preso em Cabinda.
Após o cumprimento da pena é transferido para o Huambo.
Em 1968, passa a disponibilidade e regressa a Luanda, neste mesmoano grava o primeiro disco com agrupamento Dimbas dya Ngola; dai em diante já como músico consagrado grava o segundo disco com o grupo Ngola Jazz. Em 1973 grava 4 discos com agrupamento Águias Reais, entre 1974/1976 grava dois discos com os Merengues.
De um tempo a esta parte Nito Nunes, padecia de diabetes, que provocavam-lhe com frequencia o aumento da sua  pressão arterial.
No dia 4 de Dezembro de 2012, após um convívio com os amigos, mano Nito, ou tio Nito como era carinhosamente chamado por muitos, incluindo vizinhos. Sente-se mal. Ainda foi a tempo de avisar um dos amigos que deixara no local do convívio, quando este chegou à sua casa, já o cantor agonizava… o amigo, correu a policia, porém, quando esta chega, já a voz que homenageara o rei Ngola Kiluanje kya Samba se calara para sempre.
Ele que também bem mereceria o titulo de decano dos cantores de Kissama.
O mano Nito foi a enterrar as 11horas do dia 7/12/2012 no cemitério da Sant´Ana, quarterão 3, campa 117-D; deixa 9 filhos e 27 netos.

Luanda, 7 de Dezembro de 2012.

Serafim A. Quintino

Publicado por: cnal | dezembro 11, 2012

Estrada só por ano quando a chuva parar

Populares andam apé até ao Dondo

Populares andam a pé até ao Dondo

A empresa Mecanagro responsável pela reabilitação do troço Muxima/Mumbondo/Cambingo (estrada nacional 110), viu-se obrigada a suspender os trabalhos, devido as constantes chuvas que se abatem na região.
Esta situação adia a chegada da estrada, impossibilita o acesso de viatura que levavam bens de primeira necessidades aquelas localidades bem como obriga os populares a se deslocarem apé ou de motorizadas e bicicletas com muitos riscos para o Dondo a procura de saúde e outros serviços. Outra situação que torna moroso a conclusão dos trabalhos é as constantes paragens por falta de combustivel, que obriga a equipa de trabalho a se deslocar para Luanda semanalmente em busca do referido produto.
A obra teve inicio em Maio de 2012, até Outubro deste ano foram reabilitados 105km, faltando 81km até Cambingo.
Por Anacleto Quintino

Older Posts »

Categorias